Notícia

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação
Quinta, 04 Fevereiro 2016 10:35

Polo Agroalimentar vai desenvolver projeto de geração de energia para irrigação

Uneal e Ciência e Tecnologia vão atuar juntas em iniciativas que beneficiem agricultores familiares no Semiárido e Sertão alagoanos

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +

Davi Salsa 

Após a assinatura do Termo de Cooperação, nesta quarta-feira (3), entre a Secretaria de Ciência e Tecnologia e Inovação (Secti) e Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), em Arapiraca, o coordenador-administrativo do Polo Agroalimentar do Agreste, professor Laelson Lima, revelou que um dos primeiros projetos da unidade já está em andamento.

Ele se refere às pesquisas de laboratório para implantação e aproveitamento da energia eólica (solar) para uso em sistemas de irrigação em pequenas propriedades rurais. Laelson Lima disse que o projeto tem o apoio do Governo do Estado e vai beneficiar agricultores familiares que vivem às margens do Canal do Sertão. De acordo com o professor da Uneal, o governador Renan Filho vê como prioridade esse tipo de projeto autossustentável no meio rural.

O Polo funciona em parceria com a Prefeitura de Arapiraca, que doou o terreno com mais de três mil metros quadrados, bem como as secretarias municipais de Agricultura, Fundação de Amparo à Pesquisa em Alagoas (Fapeal), Agência Desenvolve, cooperativas, sindicatos rurais, entre outras entidades ligadas à cadeia produtiva.

O coordenador do Polo Agroalimentar, instalado na comunidade de Bananeiras, em Arapiraca, disse que o sistema tem baixo custo, uma vez que, segundo ele, é usa um painel solar e uma torre eólica, para rodar um sistema de irrigação capaz de economizar água e energia e melhor aproveitar pequenas áreas cultiváveis do Semiárido até o Agreste.

Lealson Lima adiantou que o sistema contará com um software capaz de coletar dados e identificar a quantidade de água necessária para cada tipo de solo, a meteorologia e o tipo de cultura mais adaptável para cada localidade.

"Estamos muito satisfeitos com a escolha da nossa universidade para tocar esse projeto, que, com toda certeza, será muito importante para toda a região", completou Lima.