Notícia

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação
Sábado, 13 Fevereiro 2016 12:40

Secti e Fapeal reforçam parceria com o Ministério e Secretaria da Saúde para apoiar pesquisas no combate ao Aedes Aegypti

A proliferação do mosquito portador da Dengue, Zika e Chikungunya, e seus efeitos para a população preocupam o Secretário Pablo Viana, que decidiu reunir esforços e competências para o desenvolvimento de pesquisas no Estado.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +

Déborah Moraes

Preocupado com a proliferação das diversas doenças causadas pelo Aedes Aegypti, responsável pela Dengue, Febre Chikungunya e a Zika, o secretário da Ciência, Tecnologia e Inovação, Pablo Viana, está definindo linhas de apoio para as pesquisas e iniciativas tecnológicas que possam ajudar a combater o mosquito.
Por intermédio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), entidade vinculada a Secti, em colaboração com o Ministério da Saúde (MS) e a Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau), será lançado a edição 2015/2016 do edital do Programa de Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS) de Alagoas.
No PPSUS pesquisadores de diversas áreas poderão submeter trabalhos em cinco eixos principais, que vão de saúde de populações vulneráveis a avaliação de tecnologias em saúde. Cada eixo, conta com pelo menos 3 subeixos e linhas de pesquisa específicas.
Nesta edição o programa define diferentes linhas de pesquisa que incluem investigações sobre doenças contagiosas, estimulando o fortalecimento de grupos existentes e apoiando a formação de novos grupos nas universidades e institutos no Estado.
O secretário Pablo Viana acredita que toda a população deve contribuir para a resolução deste problema, mas ressalta que o trabalho da comunidade científica pode ser determinante na descoberta de novas formas de extermínio do mosquito, além do tratamento das doenças causadas por ele.
“A secretaria da Ciência e Tecnologia do Estado, está constantemente avaliando os resultados de pesquisas contempladas em edições recentes, e comprometida em contribuir na definição de prioridades da sociedade alagoana, como defender a saúde pública no combate ao mosquito Aedes Aegypti”, explicou o secretário Pablo Viana.